CONTOS INFANTIS: AS FLORES QUE A GENTE INVENTA

Em seu primeiro livro de poemas, Fernanda Lopes de Almeida afirma:

“A poesia mais bonita é de quem não sabe que é poeta”. E, assim, brinda o leitor com a singeleza e a sagacidade do seu olhar e da sua palavra, onde flores coloridas ganham vida em papel branco, onde se encontra o alimento dos sentidos e o refúgio para o espírito, se descobre o poder da benção das avós e ainda, a força que há quando o sonhar e o fazer andam de mãos dadas.

As flores que a gente inventa

Texto: Fernanda Lopes de Almeida

Editora Ática, 2013.

Leitura compartilhada: a partir de 4 anos.

Leitura independente: a partir de 7 anos.


Posts Em Destaque
Posts Recentes